PROGRAMA DE CONTROLO DA DISPLASIA DA ANCA

 

Respondendo às necessidades e solicitações desde há muito expressas pelo Clube Português de Canicultura, pelos Criadores e suas Associações e pelos proprietários dos canídeos em geral, vai ser dado início ao Programa de Controle da Displasia da Anca.
O Clube Português de Canicultura (CPC), detentor do Livro de Origens Português e representante da Canicultura em Portugal, estabeleceu um protocolo com a Associação Portuguesa de Médicos Veterinários Especialistas em Animais de Companhia (APMVEAC).
A APMVEAC estará disponível para colaborar com os clubes de raça e com as associações filiadas no CPC, tendo essa colaboração, sempre, a concordância prévia do CPC.
Para que este esquema de controlo possa ter algum sucesso e benefício, para os criadores e proprietários de cães, é necessário que as regras impostas pelo regulamento sejam escrupulosamente seguidas.
- Qualquer proprietário de um animal registado no Livro de Origens Português ou com Registo Inicial poderá participar neste esquema de despiste e controlo da displasia da anca;
- A idade mínima para se poder testar os animais é de 12 meses para raças pequenas, médias e grandes e 18 meses para as raças gigantes;
- Para a realização dos exames radiográficos os proprietários deverão recorrer ao seu Médico-Veterinário assistente que o informará de todo o processo;
- Os animais a testar deverão ser submetidos a anestesia geral para poderem ser radiografados;
- O proprietário deverá assinar um termo em que autoriza a realização da anestesia geral e o armazenamento e utilização dos resultados do exame radiográfico com fins científicos por parte da APMVEAC;
- A comissão de leitura é formada por três Médicos-Veterinários que se reunirá na sede da APMVEAC em Lisboa;
- A comissão de leitura dará a conhecer o resultado até um prazo máximo de 1,5 meses após recepção do exame na sede da APMVEAC.
- O resultado da avaliação do exame radiográfico será dado a conhecer ao Médico‑Veterinário responsável pelo exame radiográfico, o qual informará o proprietário do animal;
- O Médico-Veterinário que realiza o exame radiográfico será o único interlocutor com a APMVEAC. A reavaliação dos resultados será solicitada através do Médico‑Veterinário atrás referido;
- Após comunicado o resultado da reavaliação, o proprietário caso o pretenda, poderá interpor recurso da decisão directamente para o CPC;
- No recurso o CPC solicitará à APMVEAC as radiografias que deram origem à decisão e irá enviá-las para a Comissão de Leitura da Fédération Cynologique Internationale, que emitirá a última leitura.
Para mais informações consulte o seu Médico-Veterinário assistente.

 

REGRAS PARA SUBMISSÃO DAS RADIOGRAFIAS PARA CLASSIFICAÇÃO DE DISPLASIA DA ANCA

 

Identificação da radiografia

Os dados que devem fazer parte da identificação da radiografia são:
- Identificação do lado direito e esquerdo da radiografia;
- Número de identificação (microchip) do animal;
- Data de realização da radiografia;

 

Idade do animal

Só se recebem radiografias de animais com mais de 12 meses de idade nas raças pequenas, médias e grandes e 18 meses nas raças gigantes.

 

Características das radiografias

As radiografias devem obedecer a características de qualidade, contraste e correcto posicionamento.

 

Regras de envio das radiografias

A radiografia será enviada, acompanhada pelo impresso próprio de submissão, pelo Médico‑Veterinário que a realizou para a sede da APMVEAC.
As radiografias serão armazenadas na sede da APMVEAC.

 

Comunicação do resultado

O certificado com a classificação de leitura será enviado para o Médico-Veterinário que enviou a radiografia. Serão enviados duas cópias do certificado: uma para o arquivo próprio do Médico-Veterinário e outro para o proprietário do animal.
O CPC será informado do resultado da leitura da radiografia de cada um dos canídeos radiografados e, caso o proprietário não se oponha, averbará essa informação no registo do animal.

 

Impressos a preencher e enviar com a radiografia

O Médico-Veterinário que fizer a radiografia, fornecerá o impresso a preencher e a enviar com a radiografia para a comissão de leitura.
Este impresso terá que ser assinado pelo Proprietário do animal radiografado e pelo Médico-Veterinário que fez a radiografia.

 

Classificação das radiografias

* GRAU A - AUSÊNCIA DE DISPLASIA
* GRAU B - ARTICULAÇÕES COXO-FEMURAIS QUASE NORMAIS
* GRAU C - DISPLASIA LIGEIRA
* GRAU D - DISPLASIA MODERADA
* GRAU E - DISPLASIA GRAVE

 

Reavaliação da classificação

Existe a possibilidade de solicitar a reavaliação da classificação emitida. O Médico‑Veterinário que pediu a primeira leitura deverá apresentar uma carta solicitando a reavaliação.
A carta deverá ser acompanhada de um cheque à ordem da APMVEAC com o montante do valor da taxa de reavaliação.
Caso seja alterada a classificação inicial este valor será devolvido.

 

Preço da leitura da Radiografia para Sócios do CPC

O preço de leitura para os proprietários de canídeos que sejam membros do CPC é de €30 (trinta euros) por cada radiografia.
A leitura de radiografias de exemplares de Raças Portuguesas tem uma redução especial de 20%, sobre o valor acima mencionado.
Na reavaliação haverá lugar ao pagamento de uma taxa adicional de €50 (cinquenta euros). Este valor será devolvido caso a classificação então atribuída seja inferior à classificação inicial.

 

Recurso da classificação

Após realizada a reavaliação, o proprietário tem ainda a possibilidade de apresentar um pedido de recurso.
Este recurso é solicitado directamente pelo proprietário ao Clube Português de Canicultura.
O CPC requererá à APMVEAC o envio das radiografias que deram origem à leitura e irá enviá-las à Comissão de Leitura da Fédération Cynologique Internationale (FCI).
A classificação emitida pela Comissão de Leitura da FCI é final e inapelável, caso o proprietário não se oponha, o CPC averbará essa informação no registo do animal.
O custo do recurso é de €250 (duzentos e cinquenta euros) e o pagamento deve ser realizado ao Clube Português de Canicultura no momento do pedido.